top of page

Você conhece a diferença entre o Ácido Hialurônico e a Vitamina C?


“Sou como sou hoje pelas escolhas que fiz ontem” Stephen Richards Covey


O importante é conhecer o que você está utilizando na sua pele.


A escolha de um ativo cosmético não apropriado causa atraso no tratamento, custos desnecessários, efeitos colaterais indesejados e até a chance da afecção da pele se agravar. A isso tudo soma se o descrédito que é adquirido pelo cliente que passa a não confiar mais em nenhum produto e tenta se “convencer” a viver com lesões, manchas, flacidez e outros problemas estéticos da pele.

Devido a alta eficácia, multifuncionalidade, estudos clínicos já consolidados e segurança dermatológica, dois ativos estão presentes na maior parte dos produtos dermocosméticos: O Acído Hialurônico e a Vitamina C.


O Ácido Hialurônico é uma substância produzida pelo nosso organismo e está presente em todos os tecidos de todos os órgãos do corpo humano e em maior proporção aparece na pele.

Este composto é um poderoso hidratante. Com propriedades fortemente higroscópicas, o ácido hialurônico se liga a moléculas de água do meio ambiente e as puxa para o interior da epiderme, mais precisamente coloca-se entre e preenche os espaços vazios das células na pele, causando assim o efeito de sustentação, hidratação e elasticidade.


Como este ácido tem uma alta afinidade com moléculas de água, formam um bloco coeso, uma trama de proteínas e moléculas de água preenchendo as rugas.


Conforme a idade avança, a produção de ácido hialurônico diminui e com isso a absorção de ácido hialurônico de fontes externas torna-se uma boa escolha. A oferta de produtos à base deste ácido aumenta a cada ano, facilitando a sua obtenção e utilização. Já é possível encontrar esta substância sendo vendida em diferentes formas farmacêuticas. Gel, cremes e até cápsulas estão sendo utilizadas. Todos estes produtos prometem bons resultados antes e depois do uso para a redução de rugas e linhas finas, além de auxiliar na redução da flacidez da pele.


A Vitamina C é um dos princípios ativos mais tradicionais e amplamente utilizados com maior frequência em formulações cosméticas. Seu uso e eficácia estão consolidados e sua segurança dermatológica inquestionável.


A Vitamina C quando aplicada na concentração correta torna-se um ativo multifuncional. Entre seus benefícios estão os efeitos hidratante, antirrugas, antioxidante , uniformizador do tom da pele, despigmentante, fotorrejuvenescedor e ocasiona melhora a textura da epiderme. O ponto chave da ação da vitamina C é que ela retarda o processo de envelhecimento da pele como um todo.


A Vitamina C estimula a síntese do colágeno que é a maior e mais importante proteína estrutural da pele, responsável pela firmeza e elasticidade da pele, e não afeta a síntese de outras proteínas.

Antioxidantes referem-se a substâncias que tem como característica diminuir ou bloquear reações de oxidação induzidas pelos radicais livres. A vitamina C é um potente antioxidante e é usado em muitos produtos pós sol por interferir na geração de novos radicais livres ocasionado pelos raios UVA e UVB. Estudos comprovaram que a vitamina c apresenta ação sinérgica com protetores solares pois previne mutações induzidas pelos raios ultravioletas. Entretanto a vitamina C não pode ser considerada um protetor solar pois não absorve as radiações UVA e UVB.


A vitamina C é um poderoso ativo despigmentante pois promove a redução de pigmentos de melanina por inibição da tirosinase que é uma enzima que regula a liberação destes pigmentos.


Pode-se observar que estes dois importantes princípios ativos diferem entre si em vários aspectos; sendo assim a escolha do produto cosmético contendo o princípio ativo correto em conjunto com a forma farmacêutica mais apropriada e indicações de uso adequadas irão atingir o sucesso no tratamento.


Comentários


bottom of page